Mensagem do
Diretor do SIS

Num cenário mundial instável e imprevisível, o Serviço de Informações de Segurança (SIS) vê reforçado o seu compromisso com os cidadãos de prevenir as ameaças que podem colocar em risco a segurança interna portuguesa e da União Europeia.

O SIS está focado em monitorizar os impactos diretos e indiretos das crises sucessivas e a trabalhar para apoiar o decisor político a navegar neste novo ambiente geopolítico e geoeconómico, ajudando-o a decidir através de informações de cariz preciso e independente.

As ameaças têm vindo a reconfigurar-se de modo cada vez mais complexo. A sua identificação precoce, em tempo oportuno para a tomada de decisão política, constitui um permanente desafio à capacidade do SIS, obrigando-o, de forma célere e antecipada, a processos de readaptação metodológica, a realizar investimentos no recrutamento de recursos humanos jovens, qualificados e comprometidos com a missão de serviço público, bem como na incorporação de inovação tecnológica que contribua para a eficiência, rapidez e adaptabilidade dos nos processos de trabalho.

Atualmente, o SIS está empenhado na introdução de metodologias de trabalho inovadoras e na melhoria dos processos internos de fluxo de informação e de criação de sinergias, ainda mais robustas, na abordagem transversal e interdepartamental de fenómenos. Neste aspeto, o SIS acompanha a tendência para a constituição de unidades especializadas e adaptáveis às prioridades, que passem a integrar todas as valências analíticas e operacionais, enquanto trabalha em conjunto de esforços com os parceiros internacionais, como em tempo algum se verificou.

Em simultâneo, o SIS aposta nas suas capacidades para a avaliação dos meios cibernéticos que estão a ser usados frequentemente pelos diferentes agentes hostis. A capacitação tecnológica e a atração de recursos humanos qualificados são aspetos considerados prioritários na atividade do SIS, com vista a robustecer o seu papel preventivo nesta dimensão tão complexa de propagação de ameaças e de riscos que afetam, de modo direto, a segurança dos cidadãos e das empresas nacionais, bem como o quadro de valores democráticos e constitucionalmente estabelecido.

O SIS continua também a privilegiar a sua abertura à sociedade civil e o seu empenho no reforço da cultura de segurança nas organizações nacionais e estamos empenhados em estabelecer novas parcerias com as empresas privadas, com a Academia e com as organizações que geram inovação e desenvolvimento.

Espera-nos um futuro auspicioso de progresso humano e tecnológico, à espreita estarão sempre ameaças, riscos e perigos que, antevejo, sermos capazes de mitigar.

Estamos atentos e nunca desistiremos da nossa missão de PREVENIR ameaças em defesa da segurança interna.

Adélio Neiva da Cruz